Ouro preto

Comer, beber & andar: um rolê pelas cidades históricas mineiras

Minha historia de Mulher Viajante começou há muito tempo, lá minha infância quando aos dez anos eu tinha que ir e voltar da escola sozinha, tempo depois foram os cursos que eu também não precisei de uma amiga para acompanhar, logo em seguida: cinemas sem companhia, faculdade, entrevista de emprego, primeiro emprego, academia, shows, pós-graduação, exposições, palestras e etc. Será que se eu dependesse de companhia teria feito todas essas coisas ou tantas amizades? Acho que não! Eu gosto de pessoas e de estar com pessoas, eu só aprendi que gosto da minha companhia também!
Finalmente em 2016 fiz a minha primeira viagem sozinha! Tinha que planejar minhas tão esperadas férias, decidir conhecer as cidades históricas de Minas Gerais. Conversei com outras amigas que também fazem viajam sozinhas e outras pessoas que já tinham feito esse roteiro. Depois de tudo organizado, chegou o grande dia! Coloquei a minha mochila nas costas e simplesmente fui!

Diário de Bordo: São João del Rei, MG (2008)

A primeira cidade foi São João Del Rei, uma das maiores, mais importantes e antigas cidades mineiras. Fiquei dois dias hospedada na cidade, eu, meus pensamentos e a liberdade de fazer que quiser na hora que quiser, sem negociar nada com ninguém.
No segundo dia fui conhecer Tiradentes, cidade pequena, charmosa e também conhecida pelo Festival de Cultura e
Gastronomia. Andei ladeira a baixo e ladeira acima, comi como não houvesse o amanhã e conheci pessoas incríveis.
Na manhã seguinte, peguei a minha mochila e parti para Ouro Preto, mas antes disso tinha que passar por Congonhas, simplesmente porque que queria conhecer o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, local onde estão os profetas de Aleijadinho.

Santuário do Bom Jesus de Matosinhos-12 prodetas de Aleijadinho Marisa Santos
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos -12 profetas de Aleijadinho // Foto: Marisa Santos
Os 12 profetas do escultor mineiro Aleijadinho - o maior conjunto barroco a céu aberto da América Latina
Os 12 profetas do escultor mineiro Aleijadinho – o maior conjunto barroco a céu aberto da América Latina // Foto: Marisa Santos

No fim do dia cheguei a Ouro Preto, se a noite eu achei a cidade incrível eu nem imaginava o que me esperava no dia seguinte e nos próximos quatro dias.  Na manhã seguinte não sabia por onde começar, segui meus instintos e cheguei à Igreja Nossa Senhora Do Pilar, pausa para foto!

Como foi o Mulheres Viajantes vai às ruas em Ouro Preto?

Igreja nossa Senhora do Pilar- Ouro Preto
Igreja nossa Senhora do Pilar em Ouro Preto // Foto por Marisa Santos

E o passeio continua, uma dica importante: pre-pa-ra para andar as ladeiras! Elas são incríveis, esquece o carro, a cidade de Ouro Preto é linda e merece ser vista em cada detalhe! Acolhedora, cheia de cultura, inspiração e comida boa (comer, beber e andar). Andei mais um pouco cheguei à Igreja Nossa Senhora do Rosário, cada igreja é uma história diferente.  

Igreja Nossa Senhora Do Rosário-Ouro Preto
Igreja Nossa Senhora Do Rosário em Ouro Preto // Foto por Marisa Santos

O ponto de encontro é a Praça Tiradentes, cada vez que você passa por ela tem algo diferente acontecendo, roda de capoeira, música e danças. Lugar ideal para treinar inglês, espanhol, italiano, entre outras. Conheci pessoas de vários países.

monumento a Joaquim José da Silva Xavier, - Ouro Preto
monumento a Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, em Ouro Preto// Foto por Marisa Santos

No fim do dia tem o pôr do Sol, uma vista incrível ao lado do Museu da Inconfidência que fica em frente à famosa Praça Tiradentes. E para quem gosta de sair à noite para jantar e beber há diversas opções de bares, pubs e restaurantes, além das repúblicas estudantis (a cerveja local é maravilhosa).

Museu da Inconfidência em Ouro Preto
Museu da Inconfidência em Ouro Preto // Foto por Marisa Santos

Em Ouro Preto, também tem várias minas, eu uma delas a mina Jeje datada do século 18, o trajeto é relativamente curto, porém atinge uma profundidade total de 160 m, em minha opinião foi triste conhecer a história tão sofrida de negros escravizados.

mina jeje ouro preto
Em frente à mina Jeje em Ouro Preto// Foto por Marisa Santos

Finalizo minha historia de Mulher Viajante com o meu aprendizado na minha primeira viagem sozinha: não dependa de ninguém, não duvide de você, não é um bicho de sete cabeças e se tiver medo vai com medo mesmo. Desejo várias viagens para todas nos Mulheres Viajantes.

O dia em que eu conheci a casa da Elizabeth Bishop


Acompanhe o Mulheres Viajantes por aqui também!

Facebook: facebook.com/projetomulheresviajantes

Instagram: @mulheres.viajantes

Youtube: https://www.youtube.com/mulheresviajantes

Se estiver em busca de hospedagem, aproveite o nosso link do Airbnb: www.airbnb.com.br/c/tcarneiro11

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.