M pelo Mundo

O portal de viagens M pelo Mundo foi criado pela jornalista Nathalia Marques a fim de se tornar um espaço de conteúdo para mulheres viajantes e assim, aproveitei para conversar com ela para saber um pouco mais da relação dela com

“O M pelo Mundo respeita a singularidade de toda mulher e acredita que todas merecem ter voz na sociedade. Por isso, sua equipe é formada por diferentes mulheres, cada uma com sua bagagem e vivência. “

Thaís Carneiro – O que é viajar para você?

Nathalia Marques – Tenho uma relação muito profunda e de longo tempo com viajar. Lembro que quando era mais nova, mais ou menos uns 12 anos, eu ficava sentada na calçada da casa da minha avó. Ali, era (e ainda é) uma rota de aviões e eu passava horas observando eles passando e imaginando quem eram as pessoas que estavam viajando e para onde elas estavam indo.

Isso ficou muito tempo no meu imaginário e comecei a sonhar em conhecer o mundo todo. Hoje, para mim, viajar é somente e pura liberdade. É a oportunidade de estar em contato com outras pessoas e conhecer suas histórias, poder me aprofundar em novas culturas e entender novas maneiras de levar a vida. Também vejo como um processo autoconhecimento. Enfim, é puro amor.

Thaís Carneiro – Você acredita que o fato de ser mulher influencia de algum modo a experiência como viajante?

Nathalia Marques – Sim, principalmente se é uma viagem sozinha. Como mulheres aprendemos que devemos temer o mundo, que devemos sempre estar acompanhadas e sempre pensar nos outros antes de nós mesmas. Quando viajamos sozinhas estamos quebrando todas essas correntes culturais que nos foram impostas desde muito novas.

Em uma viagem solo nos damos conta de que o mundo não é tão perigoso quanto parece, que temos o direito de ir e vir e que o medo não pode ser um empecilho para isso. Além disso, nos damos conta que não precisamos de um homem para nos sentirmos seguras e que merecemos ter um tempo só para nós mesmas. Isso certamente são questões que não passam pela mente de um homem viajante.

Thaís Carneiro – Há alguma experiência de viagem que se destaca e você a considera mais especial?

Nathalia Marques – Todas as minhas viagens são especiais para mim. Cada uma delas me marcou de alguma maneira, cada uma delas me apresentou pessoas que levo comigo no coração, paisagens que jamais vou esquecer e experiências de vida que me ensinaram lições valiosas. Mesmo aquelas que não foram tão boas eu vejo como especiais, pois certamente me ensinaram algo.

Thaís Carneiro – Como surgiu a ideia de criar o portal?

Nathalia Marques – Eu trabalhei como repórter de turismo em um jornal. Nessa experiência tive a oportunidade de viajar bastante e entender melhor o setor de turismo. Quase nessa mesma época, eu comecei a viajar por conta própria e sempre procurava informações em sites, blogs e com outras mulheres.

Na época, eu já estava militando dentro do feminismo e sabia da importância de ter mulheres ocupando espaços. Desta forma, senti falta de um site de viagem que fosse feito por e para mulheres e que fomentasse o debate sobre a desigualdade de gênero no turismo. Desta forma, decidi juntar jornalismo, turismo e empoderamento feminino e criar o portal M pelo Mundo.

Thaís Carneiro – Quais são os planos para dar continuidade ao projeto?

Nathalia Marques – Vamos continuar postando dicas e informações para mulheres diariamente. Além disso, pretendemos seguir com mais comprometimento o nosso Podcast mensal, abrir inscrições para novas colaboradoras no final deste ano, pois precisamos de mulheres que tenham filhos e que estejam na terceira idade em nossa equipe, e lançar nosso canal do YouTube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *