No pique de Nova Iorque: um guia prático para aproveitar a cidade

Por Beatriz Mendes

Eu acho que eu nunca imaginei que poderia viajar sozinha, na verdade que conseguiria/teria coragem. Quem me conhece sabe o quanto sempre fui tímida, sempre tive vergonha de tudo, nunca gostei de fazer nada sozinha (e acho que realmente não fazia nada sozinha)! Essa paixão por viagens começou desde muito cedo, mas só há pouco tempo me dei conta disso. Desde a época da escola já era louca pra fazer viagens e juntava de todas as maneiras para conseguir. Acredito o primeiro indício foi a viagem de formatura do terceiro colegial, fui com a minha escola para Floripa, mas o que eu queria mesmo era ter ido para Porto Seguro. Não cansei de persistir para realizar esse sonho da época e no ano seguinte estava eu lá toda felizona na minha viagem para Porto. Logo que fiz 18 anos, também já fiz minha primeira viagem com amigas, sem família, excursão e etc. Fomos para Oktoberfest em Blumenau e esse foi o start para a minha vida de Mulher Viajante!

HI NY Hostel
Fachada do HI NY Hostel // Foto: Beatriz Mendes

Hoje decidi compartilhar minha experiência viajando sozinha para New York! Esse foi meu grande sonho realizado. Muitos desejam fervorosamente viajar para a Disney, mas pra mim a magia sempre esteve em NY. Eu já sou uma pessoa muito organizada e que adora fazer planos, então para mim não foi nenhum sacrifício fazer o planejamento de tudo sozinha, sem agências e etc. Na verdade, para mim, a viagem já começa nessa parte! Cada pesquisa, cada descoberta, já estou conhecendo um pouco mais da cidade e da cultura local. Fiquei de olho nas promoções de passagens e assim que apareceu um preço legal para as datas que eu tinha disponibilidade, eu comprei.

Sempre que viajo acompanho as publicações no Facebook de grupos específicos do local, então achei um grupo brasileiro sobre NY e graças a ele conheci uma menina que também estaria lá nos meus últimos dias na cidade, e resolvemos reservar hospedagem e passeios juntas.

HOSPEDAGEM

HI NY Hostel
A vizinhança do HI NY Hostel // Foto: Beatriz Mendes

Bom, NY é uma das cidades mais caras do mundo e a hospedagem lá não é uma coisa barata. Uma das coisas das importantes que precisa de atenção: AIRBNB. Em NY é proibido por lei a locação de apartamento inteiro por menos de 30 dias. Ou seja, é permitido apenas aluguel para estadia superior a um mês ou aluguel de quarto que poderá ser inferior à 30 dias, desde que o dono MORE no apartamento!

Muitos vão falar que já alugaram apartamento lá pelo Airbnb e foi tudo OK, mas isso é questão de sorte… eu realizei várias pesquisas, conversei com pessoas que moram lá e ouvi relatos de pessoas que não tiveram a mesma sorte no Airbnb, visto que o vizinho pode denunciar e a pessoa que alugou o apartamento deverá sair e procurar outro lugar (e o dono será multado, claro).

Escolhi ficar em hostel por causa do preço (um pouco caro, mas bem mais em conta do que um hotel só para mim) e para conhecer novas pessoas e culturas! Fiquei uns dias no HI NYC Hostel e depois para o West Side YMCA. Resumindo, eu sou suspeita para falar sobre os dois pois eu simplesmente AMEI o HI NYC e indico para todos.

café do hi ny hostel
Outra opção do Café do HI NY Hostel// Foto: Beatriz Mendes

West Side YMCA

Os pontos positivos são: localização, dá uns 20 minutos no máximo à pé até a região da Times Squire; há a opção de reservar antecipadamente e pagar em reais parcelado; quartos privativos, você consegue pegar um quarto individual ou duplo (foi o que eu peguei), mas todos são com banheiro compartilhado; tem piscina e academia, mas acabei nem indo pois é a última coisa que pensamos em ir quando estamos lá.

Já algumas coisas que não me agradaram: fiquei em três quartos (duplo) diferentes, paguei a mesma coisa por cada um mas tinham tamanhos bem diferentes, então acredito que seja questão de sorte pegar um quarto com tamanho OK, o primeiro que eu fiquei era BEM pequeno mesmo, não dava para duas pessoas se mexer muito lá com as malas; o banheiro compartilhado achei pequeno para o tanto de quartos que tinha em cada andar, além da limpeza que não gostei muito; caso você quisesse guardar as malas antes do check-in ou depois do check-out você tinha que pagar por mala, foi um gasto que achei desnecessário.

O clima lá é bem de hotel mesmo, não tem interação entre os hóspedes nem café da manhã. Muitos gostam de ficar lá pela localização, acho que vai do gosto e preferência de cada pessoa, eu não voltaria.

HI NYC Hostel

HI NY Hostel
Quarto Coletivo no HI NY Hostel // Foto: Beatriz Mendes
HI NY Hostel
Cozinha do HI NY Hostel // Foto: Beatriz Mendes

Como eu disse, eu simplesmente adorei minha estadia lá e voltaria com certeza. Fiquei em quartos compartilhados, passei por dois tipos de acomodação (tem opções de quartos com café da manhã e sem): feminino com 3 beliches e misto com 2 beliches. Achei os quartos com espaços bons e cada pessoa tinha seu locker com um tamanho bom também. Não tenho nada a reclamar da minha experiência em quarto compartilhado, acredito também que seja muita questão de sorte para não ter pessoas sem noção. Um dos quartos que eu fiquei as meninas deixaram tudo em cima da cama, no chão e etc., mas nada que atrapalhasse minha estadia. Em relação ao quarto misto achei OK também, tinha apenas um homem e era brasileiro.

Muitas meninas ficam inseguras em pegar quarto misto, eu achei bem mais organizado do que o quarto só com as meninas. O brasileiro deixava todas as coisas dele guardada no armário e nunca deixava bagunça no quarto. Os espaços comuns do hostel são ótimos e grandes: tem um pátio, sala de jogos, sala de cinema, cozinha e uma lanchonete que serve o café da manhã também. Tem várias atividades para interação dos hóspedes, um ótimo lugar para quem está viajando sozinho trocar experiências com pessoas do mundo inteiro.

hi ny hostel
Relaxando na área comum do hostel // Foto: Beatriz Carneiro

ALIMENTAÇÃO

 

Sobre alimentação eu não tenho muito o que falar, pois não sou daquelas que vai em restaurantes e experimenta mil pratos diferentes. O café da manhã era no próprio hostel e geralmente minhas refeições ao longo do dia foram compradas no mercado. Durante alguns passeios, comi umas coisas diferentes (mas não lembro os preços) como no Olive Garden da Times Square e no Shake Shack. Comi Big Mac também, mas achei caro e prefiro o de São Paulo.

shake shack new york
A sombresa do Shake Shack// Foto: Beatriz Mendes
olive garden new york
A comida do Olive Garden// Foto: Beatriz Mendes

Lá as fatias de pizzas são bem famosas, um dia comi “a pizza do Homem Aranha” no Joe’s Pizza, achei boa. Mas outro dia comi uma fatia MARAVILHOSA, a melhor da minha vida, na Champion Pizza, mas vale ressaltar que eu estava morrendo de fome então não sei se meu julgamento estava comprometido hahahaha

pizza homem aranha new york
Aproveitando a pizza do Homem Aranha // Foto: Beatriz Mendes
pizza champion new york
A deliciosa pizza Champion // Foto: Beatriz Mendes

Fiz a clássica também e fui no Starbucks, e fiz também a diferentona e tomei um sorvete na Chinatown (falarei dele no tópico ‘passeios’). Comi uns doces maravilhosos na Martha’s Country Bakery e Molly’s Cupcakes!

Martha's Country Bakery
Um pouco mais das delícias da Martha’s Country Bakery // Foto: Beatriz Mendes
Martha's Country Bakery
Aproveitando as delícias da Martha’s Country Bakery // Foto: Beatriz Mendes

Sobre minha alimentação versão econômica mercado: comprei uma caixa de cookies no mercado por 1 dólar, foi ótimo para economizar, a caixa vinha cheia! Comprei também salgadinhos por 1 dólar e uma caixa de bolacha por uns 5 doláres, que durou dias pois tinha muitas. Eu não ligo de economizar em comida para poder gastar em outras coisas, então para mim é bem normal me alimentar com essas besteiras.

cheesecake facto new york
As delícias da Cheesecake Facto// Foto: Beatriz Mendes

 

molly new york
A vista do Molly// Foto: Beatriz Mendes

TRANSPORTE

new york trem
Trem do aeroporto para o metrô que vai pra Manhattan // Foto: Beatriz Carneiro

Eu estava sozinha e não fui com uma mala muito pesada, por isso fui do aeroporto para o Hostel utilizando transporte público de boa. O trajeto é até que simples, o problema é que a maioria das estações não tem escada rolante então se você estiver com várias malas pode complicar um pouco. O trânsito de NY é horrível, então carro nem pensar! O metrô te leva para todos os cantos e funciona relativamente bem. Lá tem o metrocard semanal por 35 dólares e você pode usar quantas vezes quiser, achei que valeu super a pena! Uma coisa maravilhosa é que o metrô funciona 24 horas, então você pode sair à noite sem se preocupar com o horário. Algumas estações fecham dependendo do horário e algumas linhas modificam o trajeto, então é necessário um pouco de atenção nisso. São algumas linhas de metrô e no começo é um pouco confuso, mas nada que um aplicativo do metrô e Google maps não resolvam! Não achei nada perigoso andar por lá sozinha, inclusive voltei sozinha de madrugada do jogo de beisebol e foi tranquilo (tirando algumas estações que fecharam e eu precisei fazer um caminho mais longo).

 

INTERNET

Muitos lugares de New York realmente tem wifi e funciona de forma OK. Alguns metrôs têm, algumas lojas também e o HI Hostel funcionava bem (alguns pontos nem tanto). Se eu não me engano, no YMCA não funcionava no quarto! Comprei um chip quando cheguei lá, se não me engano foi no segundo dia. Um chip da easysim4u, apenas com internet funcionou de forma ok para mim. Um dia travou, mas entrei em contato e resolveu! Internet é bom não só para ficar conectada, mas para utilizar os mapas e aplicativos que auxiliam no metrô.


Acompanhe o Mulheres Viajantes por aqui também!

Facebook: facebook.com/projetomulheresviajantes

Instagram: @mulheres.viajantes

Youtube: https://www.youtube.com/mulheresviajantes

Se estiver em busca de hospedagem, aproveite o nosso link do Airbnb: www.airbnb.com.br/c/tcarneiro11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *