Jardim Botânico & Jardim das Sensações em Curitiba

É inegável que o Jardim Botânico de Curitiba é o um dos cartões postais da cidade e de fato, ele é encantador. Eu o visitei em meados de julho com uma amiga querida e pudemos ver um caminho de cerejeiras, já começando a perder as suas flores. Sendo um lugar tão conhecido, ele é bastante visitado e vi circularem ali casais, crianças em excursão escolar e claro, muitos turistas.

A grande estrela é a estufa do jardim e a configuração espacial direciona o olhar do visitante para ela, como se houvesse todo um caminho mágico a percorrer.

Jardim Botânico de Curitiba
Jardim Botânico de Curitiba

 

Porém, assumo que a estufa foi uma decepção pra mim. Super lotada, o que vimos lá dentro foi uma dúzia de plantas e flores mortas. Uma tristeza, né? Não sei se foi algo pontual, mas de fato estava um tanto quanto desanimador. Além do que há uma série de pessoas, entrando e saindo da estufa, o que faz com que você tenha se valer um pouco mais da paciência para aguardar e conseguir observar melhor. Em tempo, ao subir as escadas da estufa é possível ter uma vista bem bacana do Jardim Botânico como um todo.

 

Estufa do Jardim Botânico de Curitiba
Jardim Botânico de Curitiba

O que de fato valeu a pena, para mim, foi explorar o Jardim das Sensações. Pouco conhecido pelo público, ele faz parte do complexo e traz uma proposta distinta. A ideia é percorrer o espaço e explorá-lo de maneira sensorial, se valendo dos nossos cinco sentidos. Foi então, que eu e Mari nos revezamos em levar uma a outra para explorar a vegetação de olhos fechados.

Temos uma relação muito específica com a visão, o que faz com que muito das nossas ações e cultura se baseiem nessa percepção. Fechar os olhos é um gesto simples, que realiza uma quebra na nossa percepção no espaço e faz com que precisemos reelaborar nossas experiências. Sentir o solo, perceber a distância que percorremos mesmo que em apenas um passo, observar os sons outrora não percebidos e ao tocar, sentir texturas que nos repelem ou nos acolhem. De fato, foi um exercício para tomar consciência dos nossos cinco sentidos e isto fez a experiência ser tão incrível. Através do toque e do cheiro, brincamos de identificar as plantas e flores, o que ativou memórias muito gostosas da infância. Aquele cheirinho de lavanda, de hortelã, de boldo e por aí vai. Aproveitei e conheci novas espécies e texturas, como sentir cascas de árvores e ver outras espécies de samambaias. E que delícia terminar ouvindo o som de uma queda d’água. Vocês gostam deste tipo de experiência?

Jardim das Sensações, Curitiba

 

 

Jardim das Sensações

 

Jardim das Sensações

 

Jardim das Sensações, Curitiba

 

Por fim, um espaço bem bacana para estender a canga e curtir um fim de tarde, com um piquenique, é o lago.

Jardim Botânico de Curitiba

 

+ Informações

Jardim Botânico de Curitiba & Jardim das Sensações

Rua Engenheiro Ostoja Rogunski, 690, Jardim Botânico
Horário de atendimento: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h.
Entrada gratuita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *