Buenos Aires, meu intercâmbio (2010)

45591_1576688384270_7598236_n
Nas ruas de Palermo
Em 2010, fiz a minha primeira viagem internacional e sozinha. Realizei o sonho de fazer um intercâmbio e para tanto, estudei espanhol por oito meses anteriormente no Instituto Cervantes de São Paulo.
Nas minhas buscas incansáveis por um curso, optei pelo melhor custo benefício. Um curso de três horas diárias, cinco vezes por semana na UBA, Universidad de Buenos Aires que na época custou 750 reais.
Acabei encontrando um apartamento há poucas quadras do curso, era uma quitinete apertadinha e custava a bagatela de 750 dólares. Nas buscas do velho Orkut, conheci uma garota que queria voltar a Buenos Aires também e não sabia muito bem para o que fazer. Quando conversamos, se interessou pelo curso e decidiu fazê-lo. Acabamos fechando aquela kit juntas, o que me deu bastante dor de cabeça depois por uma questão de convívio social mesmo e atritos do dia a dia. Esse apê era no centro da cidade.
74623_1741006172112_1427802_n
Entrada do apê
Chegar a Buenos Aires sozinha me deu um friozinho na barriga, mas encontrar a minha roomate no freeshop foi um alívio. Porém, logo percebi que eu deveria encabeçar a dupla, pois só eu sabia um pouco de espanhol. Outras meninas brasileiras que conheci também não sabiam, o que me forçou de um modo bem positivo a deixar a vergonha de lado e explorar as minhas habilidades (ou a falta delas, rs)
134604_1753752170754_3119136_o
Universidad de Buenos Aires
O primeiro contato com a minha turma de espanhol foi bem gostoso. Como consegui entrar na turma intermediária, conheci pessoas de vários lugares do mundo: três franceses, dois japoneses, três americanos e dois brasileiros. As professoras eram uns amores. A estrutura física em si da universidade é abandonada como uma boa faculdade pública de humanas é e esse abandono no inverno, dá uma tristeza que só. Passei muito frio naquelas salas centenárias. Mas aproveitamos bastante enquanto grupo e nos divertimos!
clase-de-nivel-3
um pouco da turma de espanhol
As meninas que pude conhecer da turma da minha roomate me deram um apoio e tanto. Assim, foi na casa de uma delas que me hospedei por uma semana no final de julho, depois que a minha relação com a minha roomate estava insuportável (ela chegou a me deixar um dia inteiro trancada, depois de uma noitada). A Carol, que me hospedou, foi maravilhosa e acabei ficando num lugar incrível que naquela época não teria condições de pagar e pude conhecer um bairro no qual eu me apaixonei, um dos milhões de Palermos.
Por mais que tenha sido uma temporada curta com atritos com essa roomate, foi uma oportunidade incrível demais em que eu gosto de rememorar cada momento gostoso e cada perrengue. Conheci pessoas de vários lugares do mundo, aprendi a lidar com o meu medo do desconhecido, comecei a pensar o que seria morar fora da casa dos meus pais e principalmente, aprendi que eu podia alcançar os meus sonhos e o fato de ser mulher não me impediria disso.
156837_1753741370484_6849947_n
Caminito
Enfim, foi libertador!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *