Aprendizados de viagem

Ana Candida Oliveira
35 anos
Por mais de um ano me planejei para tirar um período sabático e então pude mochilar sozinha pelo Peru, Colômbia e alguns meses pela Europa. 
 
As melhores recordações, certamente, referem-se ao trabalhos em troca de hospedagem, pois me proporcionaram contato com pessoas locais e, de longe, foi o que mais me ensinou coisas, além do idioma.
No Peru, fui recepcionista em um hostel e conheci pessoas fantásticas. Em Portugal, me hospedei com famílias inglesas (um casal falava zero de português), então pude treinar, aprimorar o inglês. Na Itália fiquei, em uma comunidade Hare Krishna, onde pude experimentar como é ser vegetariana e conhecer um pouco sobre essa religião, além de praticar ioga ao ar livre em plena Toscana!
A parte mais difícil pra mim, foi a saudade da família, principalmente do meu marido. Às vezes, sentia falta de alguém pra ajudar a pesquisar e resolver sobre hospedagem, passagem, bagagem, preços das atrações nas cidades. E claro, senti falta de tê-los por perto para dividir os bons momentos também.   
Então, gostaria de compartilhar um pouco do que percebi depois de alguns meses viajando sozinha por aí, somente com uma mochila nas costas e pouco dinheiro:
 
“Mochilar está além de tirar selfies em pontos turísticos e acumular números de lugares visitados.
É sobre experimentar uma postura totalmente diferente ao estilo de vida que se está acostumado. Ir para o mundo sem roteiro pré-definido, abrir o mapa e simplesmente confiar que, no próximo destino, tudo dará certo.
É ver como funcionam as coisas em outro lugar, sem ter que esperar por alguém te contar. Abrir cabeça, coração e tentar sugar todo aprendizado que aquele lugar, momento, pessoas podem lhe proporcionar.
Estar vulnerável, precisar de ajuda praticamente o tempo todo e perceber que, na maioria das vezes, há alguém disposto a ajudar.
Se dar conta de que, para viver, não precisamos de tudo o que possuímos. E é possível sim deixar de seguir o rebanho do consumismo, individualismo, competitividade e outros tantos do modo de vida que vivemos.
E sentir-se muito grata pela oportunidade de viver, mesmo que temporariamente (ou não), dessa forma!”
 
Enfim, espero que, de algumas forma, eu possa inspirar e colaborar, assim como fui por outras pessoas. 
 

Um comentário em “Aprendizados de viagem

  • novembro 14, 2017 em 2:29 pm
    Permalink

    Inspirador !!
    Que maravilhoso ter esta oportunidade e desbravar lugares tão lindos !!❤️❤️😍😍

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *