Projeto: Mulheres Viajantes

celular 016

Desde que li a notícia das turistas argentinas mortas no Equador e as hipóteses construídas pela imprensa, me senti atingida de certa forma, por mais que a realidade não fosse a minha. A minha empatia não se dá por eu enxergar no caso uma possibilidade daquilo acontecer comigo ou não, mas pelo fato de que aquilo acontece com milhares de mulheres cotidianamente.

O mais doloroso é que por mais que ocorra cotidianamente, todos esses acontecimentos parecem invisíveis e constantemente, escuto a fala de que a culpa é das mulheres. Em uma série de questões, a culpa da violência de que fomos vítimas recai sobre nós com a argumentação de que buscamos determinado problema, que tivemos comportamentos inadequados, que nos vitimizamos.

Dia desse, fiquei martelando certas questões sobre viajar e ser mulher, como as relações se estabeleciam quando viajamos sem um homem, seja sozinha ou com amigas. As reflexões começaram a surgir com mais força a partir da repercussão do assassinato das duas turistas argentinas no Equador. A Amanda Noventa trouxe uma discussão interessante sobre isto, neste artigo.

A partir disso, tive a ideia de reunir relatos de mulheres amigas que viajam o mundo e o Brasil sozinhas, e como elas se relacionam com o viajar só e como se sentem em meio ao burburinho de outras culturas e possibilidades de assédio.

A querida Camila Pastorelli, que tem um trabalho incrível de fotografia, dará o start na próxima semana. Nos acompanhem, pois toda segunda-feira, traremos um relato dessas mulheres lindas e fortes.

celular 022

 

7 comentários em “Projeto: Mulheres Viajantes

  1. Bom dia Thais! Parabéns pelo post. O assunto é super atual e necessário diante do aumento ou maior divulgação da violência que as mulheres sofrem no mundo todo. Às vezes, tenho a impressão que o mundo está andando para trás e que todas as conquistas que conseguimos, querem nos ser tiradas.
    Vou continuar acompanhando os posts.

  2. Oi Thais, adorei a iniciativa!
    Ano passado fiz minha primeira viagem sozinha, primeira viagem internacional também! Tudo foi uma loucura porque precisava além de tudo convencer meus pais de que tudo ficaria bem, sem contar ter que lidar com o preconceito das pessoas que não acreditam que somos capazes de nos divertir sozinhas em uma viagem.
    A experiência foi enriquecedora, então espero poder repetir em breve!

    É bem complicado quando vemos que sempre que uma mulher é vítima de qualquer situação sempre vai ter alguém ou vários que apontarão e colocarão a culpa nela, isso precisa parar!

    Parabéns pela iniciativa, vou ler os outros posts!
    Um beijo

  3. Olá mulheres viajantes,
    O que dizer de mulheres que viajam sozinhas? Não sei de verdade porque para mim é muito orgânico, então não glamurizo o fato ao contrário, pois eu o trato com uma simplicidade absurda. Sou viajante solitária há anos e amo esta condição porque é quando eu me redescubro, permito pessoas novas entrarem na minha vida e estou mais aberta ao novo como um todo. Apenas, preciso salientar que sou do tipo que programa tudo e se não encontro companhia adequado para alguns programas noturnos, eu simplesmente não me coloco em risco. Acho que faço tanta coisa durante o dia que à noite quero banho, comida e cama.
    Sou do tipo que aconselho todas as mulheres à viajarem sozinhas e se permitirem conhecer esta sensação maravilhosa de liberdade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.